Hidrelétricas e seus danos

Projetos para implantação de mais de 100 usinas hidrelétricas - de pequeno, médio e grande porte - nos rios de planalto da alta bacia do rio Paraguai, ameaçam o Pantanal. Estudos recentes comprovam que a instalação das barragens alterará o pulso de inundações na planície, prejudicando a biodiversidade da região, limitando a migração de peixes que sobem os rios para reprodução e retendo organismos aquáticos importantes para a alimentação de animais. Além disso, deve ser considerado o impacto social, tendo em conta a existência de comunidades ribeirinhas ao longo dos rios a serem barrados.

Para Alcides Faria, diretor executivo da Ecoa, esta questão do barramento sistemático de rios que drenam para a planície pantaneira, juntamente com as tentativas de liberar a cana-de-açúcar e as usinas de álcool no Pantanal, são, neste momento, as maiores ameaças ambientais e econômicas para a região e por isto "estamos em campanha contra, acionando todos os meios possíveis". Lembra o caso da barragem de Manso, no rio Cuiabá.

Durante o encontro de ‘Comunidades do Pantanal’, realizado no último dia 10 de dezembro em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o assunto foi pauta de discussão. A dimensão do problema preocupa não só os ambientalistas, mas também pesquisadores e quem tira seu sustendo das águas pantaneiras. Para Armindo Batista dos Santos Filho, presidente da Federação de Pescadores de Mato Grosso do Sul, é certo que a atividade pesqueira sofrerá danos: “Precisamos da garantia de que a atividade da pesca seja protegida, pois ela é uma parte da economia que se mostra social e ambientalmente sustentável no Pantanal”, afirmou. Mostrou-se, de imediato, preocupado com o rio Coxim.

Estudos científicos concordam com o presidente. O documento “Influências de usinas hidrelétricas no funcionamento hidro-ecológico do Pantanal” divulgado durante a oitava edição da Conferência Internacional de Áreas Úmidas, realizado em Cuiabá no ano de 2008, chama a atenção para a gravidade do problema e sugere que algumas novas posturas sejam tomadas.